Logo - Araguaína Notícias

Araguaína-TO
1/1/2017 às 00:00

Tragédia familiar marca o dia da mulher em Araguaína: vigilante executa a ex-mulher, a irmã e dispara contra a ex-sogra

O dia 8 de março é dedicado a homenagens para as mulheres,  mas em Araguaína  foi marcado por um crime passional, uma tragédia familiar. O bárbaro crime que aterrorizou a comunidade do setor Céu Azul aconteceu por volta das 6:00 hs da manhã dessa quinta-feira. O vigilante Didácio Sousa executou sua ex- esposa, a ex-cunhada e  tentou assassinar a ex-sogra. O mesmo se entregou a polícia e afirmou que cometeu o duplo assassinato em  nome de Deus.

O crime

Por volta das 6:00 horas da manhã, o vigilante Didácio Sousa Melo, 37 anos, morador do Jardim das Flores, se dirigiu até o setor Céu Azul,  na rua Camargo Ferraz onde  invadiu a casa da  ex-esposa Laiara Duarte Silva,de 29 anos, e efetuou dois disparos na cabeça dela. E a vítima veio a óbito no local.  

Em seguida foi até a residência da ex- cunhada, Laiane Duarte Silva, de 19 anos, localizada na rua Tucuruí, e a executou com um tiro no braço e outro na cabeça. A ex-sogra, Edileusa Maria, de 46 anos, tentou socorrer a filha, mas foi alvejada com dois projéteis de arma de fogo na boca, e com o impacto a dentadura caiu no chão. Edileusa foi encaminhada ao Hospital Regional de Araguaína gravemente ferida.

Para a polícia o crime é passional, pois conforme informações coletadas no local, eles viviam um relacionamento conturbado. Segundo o Coronel Carlos, comandante do 2° BPM de Araguaína, o vigilante noturno afirmou para polícia que cometeu o crime em nome de Deus.

A Frieza do assassino

Após barbaridade, o psicopata temendo ser linchado pela população, entrou em contato  com a reportagem do SBT, para assim se entregar a Polícia.  A casa em que o vigilante Didácio estava foi cercada pelo policiamento,  e  o mesmo resolveu  jogar as munições por baixo da porta e em seguida se entregou. Porém, foi preso em flagrante e está a disposição da justiça. Já os corpos foram levados para o IML de Araguaína, e  a mãe das vítimas, Edileusa Maria, foi encaminhada para o Hospital Regional de Araguaína.

A polícia ainda encontrou com o acusado, um revólver calibre 38, cano curto,  com 5 munições deflagradas  e 3 intactas.

A revolta

Parentes e amigos ficaram revoltados com a barbaridade do crime que chocou toda a comunidade local. Uma mulher,  parente das vítimas passou mal, e foi socorrida pelo SAMU.  No último final de semana, o pai das duas jovens faleceu por motivos de saúde. A ex-esposa Laiara Duarte Silva, deixou uma filha de apenas um ano e nove mese de idade, que ficou, a princípio, nas mãos do conselho Tutelar de Araguaína. Da familia ficaram apenas três pessoas, a mãe das vitimas fatais, que se encontra internada e um irmão de 16 anos, que está muito abalado com a tragédia e filha do casal.

Lei Maria da Penha

Os casos de agressão a mulheres são frequentes em todo o país, e independente de  classe social, inúmeras mulheres são cometidas a agressões físicas ou verbais.  Em 7 de agosto de 2006, a lei de número 11.340,conhecida como  Maria da Penha, foi sancionada pelo ex-presidente do Brasil Luiz Inácio da Silva. A lei tem como objetivo punir os agressores contra a mulher no ambiente doméstico. Desde sua criação, a lei passou por mudanças e hoje qualquer pessoa pode denunciar  o agressor, sem ter que ser necessariamente a vítima que na maioria dos casos  se cala por medo e ameaças.

 

Bueiro desativado provocou interdição da BR 153 entre Colinas e Araguaína

Bueiro desativado provocou interdição da BR 153 entre Colinas e Araguaína

Deputado defende projeto que proíbe apreensão de veículo por atraso no IPVA

Deputado defende projeto que proíbe apreensão de veículo por atraso no IPVA

UFT lança edital para preencher 771 vagas em 46 cursos de graduação

UFT lança edital para preencher 771 vagas em 46 cursos de graduação

Comentários